A Três Irmãs

Naquela casa escura viviam as três irmãs, doentes, esperando que a doença cumprisse logo sua promessa. Na cama de cima da beliche surrada, imóvel, mirando o teto, a irmã mais velha, vítima de AVC. No sofá da sala, cabisbaixa e flertando com o chão empoeirado, a irmã do meio, com aparência de anzol curvado à esquerda graças à sua coluna defeituosa. Na cadeira de balanço a ponto de ruir, no meio da sala, com olhos fixos na maçaneta da porta da rua e expressão de pânico, a irmã mais nova, que naquele ano completaria sessenta anos.